The Barley Pub

De todos os lugares irados que a Zona Norte me apresentou sem dúvidas o The Barley é o lugar com maior espaço no meu coração. Sou uma caçadora de Pubs nata e nada melhor do que achar um pertinho da casa do meu namorado. Clima sombrio típico de pub, rock como música ambiente, staff maneiriiiiiiiiiissimo, comida deliciosa, e o melhor, chopp sensacional. Lá o chopp é Ashby e tem três tipos: claro (pilsen), escuro (porter) e trigo (weiss), todos pelo mesmo preço. Também tem dois tamanhos, o normal (350ml se não me engano) e 500ml.

ImagemImagemImagemImagemImagemImagemImagem

Pra quem quiser conferir programação, promoções e mais detalhes sobre o melhor pub da ZN é só visitar e curtir a página deles no Facebook clicando aqui.

As fotos, como sempre, são do Edge Sant’Anna ♡

Anúncios

2013 ⇢ 2014

Esse tal de 2013 foi bem sacaninha, viu? Mas tudo de ruim que aconteceu foi curado por tudo de bom que também aconteceu. Eu voltei pro lugar onde a minha infância ficou guardada, voltei pro coração de uma amiga que tinha ficado lá atrás mas que agora caminha do meu lado de novo, fui testemunha e cúmplice de uma história de amor que demorou 20 anos pra se ajeitar mas que agora tem a eternidade pra viver. Trabalhei e fiquei amiga de um gringo chato, um gaúcho bobo e feio e de um cara que conheci como Darth Vader mas hoje em dia é Mr. Catra. Isso tudo foi maravilhoso, mas nada foi tão bom como poder estar com os meus irmãos. Tanto o que mora há 4 quadras de mim quanto os que me fizeram pegar a ponte aérea duas vezes esse ano só pra poder estar com eles. Curtir, abraçar, aconchegar, falar merda, tomar vinho e leite fresquinho. Nunca falei tantos “eu te amo” pra eles porque, na real, nunca os amei tanto quanto agora. E olha que sempre amei. Papai se foi mas deixou um ótimo time aqui nesse plano.

De 2014 eu só vou correr atrás de uma coisa: leveza. Espero que tudo seja mais leve, mais calmo e mais iluminado. Eu, minha vida, as pessoas a minha volta e o mundo. Espero me aproximar ainda mais de quem eu amo e de quem eu ainda não conheço, mas quero bem. Espero me encantar com pessoas desconhecidas no Instagram e na vida real também. Espero me apaixonar mais ainda (pode?) pelo meu namorado, meus amigos, minha profissão, minha família e principalmente por mim. Quero mais verde, menos carne. Mais picnics, menos bares. Mais abraços, beijos e tardes ensolaradas com cerveja gelada.

O resto eu deixo na mão de Deus, ele sabe o que faz. 

Imagem

 

Luz nunca é demais ✧

 

Eu sempre parti do princípio de que luz nunca é demais. Nunca mesmo. Sempre gostei de ambientes claros e iluminados. Já tem um tempo que eu estava querendo comprar uma mangueira de luz pra colocar no meu quarto, apesar de ele já ser naturalmente bem iluminado. Eu estava atrás da mangueira de luz, não daqueles pisca-pisca de árvore de Natal, por um único motivo: quando era criança vivia pisando naquelas partes de acrílico que ficavam soltando. E não, eu não consigo andar de chinelo em casa. Ah, sem contar que a maioria tem fio verde e eu não gosto.

Há duas semanas atrás eu fui no Mercadão de Madureira (♡) e achei o que estava procurando.

 

Ps: Pode não parecer mas eu (infelizmente) não sou uma pessoa nada natalina. Morro de inveja de quem é, de quem curte essa época do ano. Eu não odeio, não desgosto, só não entro no clima. Mas eu tento, tá? Quem sabe um dia isso muda?

 
 

Canto Cego

No último domingo acompanhei meu namorado em uma noite de apresentações na Planet Music, aqui no Rio de Janeiro. Ele foi fotografar e eu fui assistir.

O evento atrasou (surpresa!) e começou bem mais tarde do que deveria, já estava morrendo de sono e cansaço quando essa banda subiu ao palco. A vocalista era uma menina cheia de dreads no cabelo, com um rosto delicado e um figurino alinhado. Pensei, “lá vem coisa estranha”. No primeiro acorde vem a explosão. Eis a banda Canto Cego. 

A menina, delicada, vira uma catarse. Ela explode em gestos, voz, energia e pulo. É impressionante, só vendo pra entender. Me prendeu. O sono foi embora e meus olhos ficaram vidrados nela. Eu assistiria um show de 2 horas deles tranquilamente. Os arranjos são incríveis, as letras atuais e contestadoras e a versão que fizeram de “Zé do Caroço” é de arrepiar. Cheguei em casa na segunda feira e fui correndo baixar as músicas disponíveis no site da banda e passei a semana só na companhia delas. 

Se você ficou curioso, o site deles é esse aqui, Lá você pode baixar algumas músicas, acompanhar a agenda e ficar sabendo um pouco mais sobre a banda. Ah, tem eles no Facebook também. 

♫ 

Era uma vez um tênis branco

 
Tenho que confessar uma coisa pra vocês: eu tenho HORROR de sapatos brancos. Sapatilhas, scarpins e botas brancas me dão pânico. Mas sempre abri uma exceção pra tênis. Acho legal, básico, elegante e também acho uma pena eles sujarem tão rápido. Tive um All Star branco de couro que era meu xodó, mas, como todos dizem e eu concordo, All Star bom é All Star sujo.
 
Depois que minha mãe jogou fora dei esse meu xodózinho, comprei esse modelo aí de cima. Usei algumas vezes mas como ele é de tecido, qualquer coisa mancha. E como é branco, a menor sujeirinha fica em evidência. Já estava meio de saco cheio dele e comentei com o meu namorado. Juntos, tivemos a idéia de desenhar nele. Escolhi o desenho e ele desenhou pra mim ❤  De surpresa ele ainda desenhou o detalhe da parte de trás ❤ ❤  Já usei o tênis pintado, e claro, ele ainda fica sujo só que agora a sujeira não chama mais tanta atenção (pelo menos a minha hihihi).
 
 
A gente postou as fotos no Facebook e agora já tem até encomenda.
Então, se alguém se interessar é só clicar aqui e falar com o Edge.
 

Sobre ficar de molho

Há alguns anos minha vida se resume em uma grande crise de hérnia de disco com pequenos intervalos de melhora de vez em quando. Todo dia antes de dormir coloco um saco de água quente na lombar, por 20 minutos, e não saio de casa sem minha melhor amiga, Novalgina de 1g. Não sei o que é correr, pegar peso é sentença de morte e tem dia que ficar sentada é tortura. Invariavelmente sou obrigada a passar 2 ou 3 dias de molho e pra mim não tem nada pior no mundo do que não poder fazer o que eu quero. A única coisa que costuma aliviar (e muito) as minhas dores é … caminhar. Ando quase 2km por dia voltando a pé do trabalho pra casa e tem dias que o alívio é tamanho que tenho vontade de fazer o percurso umas três vezes. Fazer Pilates também foi muito amor, mas infelizmente, muito caro. 

Tattoo

Na última sexta fui no Skull & Roses e risquei da minha wishlist uma tatuagem que estava querendo fazer há séculos. Sim, finalmente a coruja com caveira mexicana começou a sair do papel e foi pra pele.

_MG_6427

_MG_6431

_MG_6438 _MG_6442

Foi a minha terceira tatuagem com a Fê e ainda tem outras tantas por vir. Na parte do meio das costas eu cochilava, já nas asas eu queria morrer. Quando acabou eu estava apaixonada e agora, quase uma semana depois, eu tô saindo da fase da coçeira. Bicho, das minhas nove essa foi DE LONGE a tatuagem que mais coçou. Quero nem pensar quando colorir.

_MG_6444

_MG_6451

_MG_6447

 _MG_6457

_MG_6460

As fotos são dele, Edge Sant’anna

Pra quem for do Rio, o Skull & Roses fica em Copacabana e só tem artista fera! Entre eles, minha tatuadora favorita, Fernanda Tenjou.