Cervejas

Aqui em casa quase todo final de semana é sinônimo de comidas gostosas (quase sempre calóricas) e bebidas (quase sempre cerveja). Eu particularmente tenho uma paixão por cervejas, todos os tipos e todos os sabores. Tenho dois sonhos nessa vida: Oktober Fest e Irlanda. No segundo caso, certamente quando for, não voltarei. Resolvi postar aqui as cervejas que eu experimentei nessa última leva e minha humilde opinião. Vou contar com a ajuda do Brejas e do Clube do Malte na descrição das cervejas porque eu não sou nenhuma perita técnica e eles mandam muito bem nos quesitos sabores, aromas, notas olfativas, essas coisas. Pegue sua caneca gelada e vamos lá!
 
1) Hi 5 Black IPA
 
 
“O estilo Black IPA nasceu de experiências de cervejas escuras extremanente lupuladas. A Hi 5 tem coloração escura, com toques acastanhados. No aroma, o torrado e o caramelo do malte se misturam ao cítrico do lúpulo Simcoe, que remete a maracujá e manga. Trata-se de uma cerveja com corpo leve a médio e notado amargor. O sabor acompanha o aroma, deixando no fundo da garganta um leve sabor de lúpulo.”
 
Eu curti bastante. É BEM forte. Como diz o rótulo: não é para os fracos. Pra beber uma vez ou outra é uma delícia mas no dia a dia pode pesar um pouco no estômago. Ah, vale dizer que adorei o gráfico do rótulo e da tampa.
 
 
2) Paulaner Hefe-Weissbier Naturtrüb
 
 
“Cerveja de trigo, a Paulaner Hefe-Weissbier é forte, leve, frutada e sutilmente amarga, sendo que nenhum conservante artificial é utilizado. Ideal para refeições leves como peixes, aves e saladas.”
 
Achei levíssima, exatamente como diz na descrição do Brejas. Dá pra tomar várias seguidas sem pesar e sem encher. Não tem como não amar as cervejas de trigo. Também adorei o rótulo e fiquei horas olhando cada detalhe dessa arte linda que tem na frente.
 
 
3) 1906 Reserva Especial
 
 
“Sua bela coloração âmbar escuro, resultante da elaboração a partir de maltes torrados e o uso de duas variedades de lúpulos, fazem da 1906 uma cerveja de características marcantes. Os seus 6,5% de álcool, aliados a aromas pronunciados de malte e lúpulo, conferem uma elegância e equilíbrio sem igual.”
 
Não amei, mas gostei. Não foi digna de um lugar no meu coração mas certamente vale a pena experimentar.
 
 
4) Faxe Premium
 
 
“A cerveja dinamarquesa Flaxe Premium é uma Lager de sabor suave e característico. A combinação dos melhores maltes, lúpulos e água da própria cervejaria, resultada em uma cerveja que encorpada, mas ao mesmo tempo agradavelmente suave.”
 
Me apaixonei. Meu novo “amor eterno, amor verdadeiro”. Isso sim é um latão. Vem 1 litro de cerveja e meu namorado ainda comprou uma caneca que cabe uma lata dessa dentro. Viking total. Comprei a Strong também (lata azul) mas ainda não experimentei, quem sabe esse final de semana rola?
 
 
5) Westmalle Dubbel
 
 
“A Westmalle Dubbel é de um marrom avermelhado e de creme bege que deixa laços em torno da taça conforme é apreciada. A fragrância é de maltes especiais e o sabor é rico e complexo, herbal e frutado com um final amargo e adocicado.”
 
Gostosa. Eu tenho uma queda especial por cervejas escuras. Essa me lembrou a Petra, que é minha preferida desse tipo. E essa taça, que mais parece um cálice, é a coisa mais linda do mundo e já faz parte da minha coleção de taças.
 
 
6) Westmalle Tripel
 
 
“A Westmalle Tripel é chamada de “mãe de todas as tripels”. Cerveja de coloração alaranjada, turva e muito aromática. Casca de laranja, pimenta do reino, pêssego e mel são alguns aromas encontradas nesta deliciosa Tripel.”
 
De-lí-cia. Diferente de tudo que eu já tomei. Não morra antes de experimentar essa lindeza.
 
 
 
Experimentem!